Um guarda roupa a caminho do minimalismo

Imagem via The Merry Thought
Imagem via The Merry Thought

Já estiveram à frente do guarda roupa e pensaram “não tenho nada para vestir?”

O vosso namorado ou alguém da família já vos disse “tanta roupa e nada para vestir”?

Yep. Eu também.

Desde que comecei a trabalhar em casa (2013) tenho-me apercebido que toda aquela roupa que usava todos os dias para ir para o escritório, para o ginásio, para as saídas à noite é cada vez menos usada e vou perdendo espaço no armário para peças mais descontraídas, mais em linha com o que faço agora.

Tenho feito limpezas ao armário, às gavetas, mas nunca me parece suficiente. Li o livro da Marie Konmari que mudou a minha forma de ver as coisas e tenho lido muito sobre um armário-cápsula (podem ler um resumo sobre o que é um armário cápsula aqui).

Não vou ficar com 37 peças nem com um guarda roupa digno do Pinterest, mas já comecei a viagem no destralhar e vou levar-vos comigo até conseguir um guarda roupa que se conjugue facilmente, com peças base e de destaque e que me faça pensar cada vez menos no que vou vestir.

Apercebi-me que há peças que uso até rebentar com elas e que há outras que guardo por razões sentimentais ou porque …porque…nem eu sei. Aquelas botas que usaste quase todos os dias no inverno? Boa compra que fizeste. Aquele casaco de padrão que estava na moda há dois anos e nunca mais usaste? Bem, eu tenho um desses e estou arrependida.

A minha relação com a roupa é sentimental. Mas as regras para este guarda roupa novo-velho-minimalista que quero ter vou traçando-as pelo caminho. Posso manter algumas peças às quais tenho carinho mas não posso manter aquele casaco que gosto mas está estragado, ou aquela camisola que comprei, usei algumas vezes e agora tenho vergonha em sair com ela à rua.

Vamos começar juntos este caminho?

  1. Tira tudo do armário e das gavetas. TUDO.
  2.  Pega em cada peça de roupa e pergunta-te: está em boas condições? Usei nos últimos 12 meses? Serve? E o mais importante: faz-me feliz? Adoro-a?
  3. Arranja algumas caixas ou sacos. O que não tiver uma resposta afirmativas a todas as perguntas anteriores entra numa destas categorias: Lixo – camisolas manchadas, calças rasgadas, roupa interior velha. Doar – Aqui deves colocar a maior parte da roupa, não achas? Vende – Peças de qualidade, peças novas. Indecisão – durante esta viagem é normal que não saibas o que fazer com algumas peças. Podes guardá-las e voltar a elas daqui a um tempo, voltar a vesti-las ou perceber que afinal não as queres mais. Guardar –  Podes guardar peças que amas mesmo que não as voltes a usar – eu tenho várias porque pertenceram à minha mãe ou à minha irmã.
  4. REPETE. É uma viagem, já tinha dito? Até ter o meu guarda roupa minimalista, voltarei a rever toda a roupa e ter a certeza sobre cada peça. É um ciclo ou um conjunto de ciclos.

Vou atualizar o blogue e o instagram sobre este assunto, com fotografias, vídeos e alguns percalços emocionais, mas vamos lá! Vou também dar uma segunda vida a algumas peças que merecem outra dona, vejam como na secção 2ª vida da roupa.

Comments

comments